Governo dá de goleada nos servidores estaduais: 19 a 10

Os deputados governistas não levaram em consideração a pressão dos servidores estaduais e votaram em peso a favor da Medida Provisória 242, que suspende qualquer benefício salarial nos contracheques. A votação foi de goleada: 19 a 10. Mostra uma bancada unida e, acima de tudo, descompromissada com as diversas categorias dos funcionários.

Uma emenda do deputado Anísio Maia (PT) serviu apenas de consolo, pois ela não significa absolutamente nada. Pede que seja permitida a reavaliação da proposta a cada seis meses. Se não tivesse na situação, o discurso de Maia seria outro. Porém, na base do governista PSB, o petista saiu-se com essa: “O governo tomou essa iniciativa para preservar o orçamento estadual”.

Numa tentativa de colocar o “pirulito” na boca da criança, o deputado petista realçou em sua justificativa um “mas: Isso não pode ser a vida toda. Por isso, estamos fixando o prazo de seis meses para que ela seja reavaliada”. Os servidores ainda tem uma esperança: a votação em segundo turno. A tendência é ampliação do placar.

Da oposição, a deputada Camila Toscano (PSDB), líder da minoria, disse que a Medida Provisória é ilegal e inconstitucional. Resta a ela só “esperar”. O que? “Que ela (MP) seja derrubada”. Porém, seguida da falta de otimismo: “Acho difícil devido a bancada governista que temos nessa Casa”.