DEM vê naufragar o projeto de indicar o vice do PSB

O DEM do deputado federal Efraim Filho alimentou a esperança de ocupar o espaço na chapa do PSB nas eleições municipais deste ano, em João Pessoa. Já observou a longa distância que está fora do processo, em que pese haver jogado no asfalto os nomes do vereador Lucas de Brito e Angela Morais, dois quadros para apresentar para vice na chapa a ser encabeçada por João Azevedo, o socialista escolhido pré-candidato.

O Democratas pretendia ser coadjuvante, sem problemas, mas não ver outro caminho e sonho com o dia em que se desacoplará do PSB. Não declarou, mas viver as custas dos outros “é melhor ser cabeça de cachorro do que rabo de leão”. Uma definição mais curta para avaliar a situação do partido de Efraim Filho, que ficou apenas na ameaça de construir sua candidatura à sucessão municipal de João Pessoa.

Em conversas com amigos, o democrata enxerga uma juba invisível. Ou seja, uma visão que não existe porque o DEM, a julgar por uma recente declaração do presidente Edvaldo Rosas, não está nos planos para compor a vaga de vice, mas sim o PMDB.

Quanto ao deputado Efraim Filho, está condenado ao mesmo tipo de tratamento dispensado ao partido dele na semana passada. Ou DEM do parlamentar já não é mais o fiel da balança de outras campanhas.