Câmara de Conciliação e o timaço, que dispensa comentário

O time é bom, diga-se, de primeira linha. Vai pra campo orientado a atacar e defender, assim como nos tempos da laranja mecânica holandesa. No entanto, não é sobre futebol que o blog se refere, mas a linha de frente da Câmara de Conciliação, também batizada de Ato 5. Vai enquadrar os fornecedores e credores do Governo do Estado.

Por traz do grupo formado por Tárcio Pessoa (Gestão, Planejamento e Finanças), Livânia Farias (Administração), Gilberto Carneiro (Procurador Geral), Gilmar Martins (Controladoria) e Fábio Maia (Chefe de Gabinete do Governo) existem outros auxiliares do governo e empresa contratada para esse fim.

A deputada Camila Toscano (PSDB) disse ao blogueiro Anderson Soares o seguinte: “É muito estranho. Parece que tem algo a esconder. É como se não quisessem vazar o teor dos contratos”. Ou seja: só figurinhas carimbadas.

Com o asfalto ardendo por causa dessa tal Câmara de Conciliação, a reação do deputado Hervázio Bezerra (PSB) as declarações de Camila Toscana deve esquentar o debate governo versus oposição. Continue a leitura:

– Quem ganha a eleição governa, escolhe auxiliares e monta a equipe. A oposição precisa entender que quem ganhou a eleição foi Ricardo Coutinho e sendo assim, é missão dele escolher seus auxiliares e decidir quem deve fazer o quê.

O lema é: “não tem que dar satisfação a ninguém. E ponto final.”