‘Malfeitos’ do governo esbarram na caneta de Vital

O ministro Vital Filho, do Tribunal de Contas da União (TCU), mandou ver no governo federal. Não quis nem saber se sua nomeação foi feita pela presidente Dilma Rousseff, tampouco se o Palácio do Planalto tinha sido generoso com sua ida do Senado para a Corte. Como se sabe, Vitalzinho – ex-deputado estadual, ex-deputado federal e ex-senador – relatou as contas da gestão petista no caso das pedaladas fiscais.

O paraibano botou suas digitais no parecer em que o TCU consolidou o entendimento de que o governo da presidente Dilma cometeu infração grave à Lei de Responsabilidade Fiscal, com “todos os atributos de na operação de créditos vedadas pela legislação”. Por sua vez, o governo segue com alegações de que as manobras fiscais não caracterizam operação de crédito.

Se isso não for manobra fiscal nada mais é. Neste sentido, Vital ressaltou que é preciso que as operações sejam incluída na Lei Orçamentária. Além do ministro, existe outro paraibano lutando pelo impeachment da presidente Dilma: o deputado federal Manoel Júnior (PMDB).