Tucanos voltam a sentir o cheiro do PMDB de Maranhão

Um correligionário de Eduardo Campos com acesso a frequentadores de um certo apartamento de cobertura de São Bernardo avisou-o: na intimidade da família e dos amigos, Lula já não descarta a hipótese de se auto escalar para bater o pênalti se pressentir que a partida de 2014 pode retirar seu time do gramado. Ao aliar-se a Campos, em outubro, Marina Silva lhe perguntou se permaneceria no jogo mesmo tendo Lula como adversário. A resposta foi afirmativa. Será?

Um correligionário com livre trânsito nos gabinetes dos senadores José Maranhão (PMDB) e Cássio Cunha Lima (PSDB) avisou o seguinte: na intimidade da conversa entre os lideres peemedebista e tucano (veja imagem acima), ambos prometem colocar os times em campo para a disputa eleitoral do próximo ano, em João Pessoa e Campina Grande, os dois maiores colégios eleitorais do Estado.

Disse mais: a conversa para os partidos serem aliados nas eleições de 2016 estão pra lá de adiantada, sem descartar a hipótese de se escalar para bater o pênalti no clássico eleitoral. Ao aliar-se a Cássio na campanha passada, o deputado Manoel Júnior (PMDB) teria acertado apoio dos tucanos em João Pessoa. Em contrapartida, os peemedebistas apoiariam a recandidatura do prefeito Romero Rodrigues em Campina Grande.

Esse cenário segue no ritmo do momento político ocorrido nesta quinta (17), como previsto aqui, a saída de Luciano Cartaxo do PT.