Postura do ‘cedo’ de Cartaxo evita contaminação da gestão

Candidato (pré) à reeleição, Luciano Cartaxo acerta na estratégia quando evita falar na campanha eleitoral que só acontece a partir de junho de 2016. Sabe perfeitamente que a população discorda da antecipação do pleito e cerca-se dos cuidados para não contaminar sua administração com o processo das eleições municipais.

Porém, acompanha com a atenção e os cuidados redobrados as movimentações de partidos ainda aliados, a exemplo de PSB e setores do PMDB. Políticos ligados ao prefeito já o advertem sobre as ações dos socialistas. O PSB do governador Ricardo Coutinho está com uma pré-candidatura pronta para lançar. Os peemedebistas idém.

Porém, Cartaxo segue com a postura do “cedo” acreditando nos aliados e o projeto de governo assinado por eles durante ou pós campanha de 2012, a exemplo dos peemedebistas, também dos socialistas, este último recentemente.

Porém, no caso do PSB, a parte boa do partido por causa do compromisso firmado pelo governador durante a campanha em que os petistas contribuíram, e muito, com à reeleição dele em 2014, numa fase que eleitoralmente falando a situação não era das melhores para a candidatura socialista.

Mas deixando os “poréns” a parte, o prefeito Luciano Cartaxo tem-se apresentado de forma inteligente dentro da estratégia de que as cartas estão à mesa, aguardando as movimentações e de olho no cenário que lhe é favorável se levado em consideração que os projetos, as ações e as obras estão aí para todo mundo ver.

Então, as criticas que surgem são normais em se tratando de uma fase pré-eleitoral, em que se tenta desqualificar uma gestão que não fica a dever as anteriores. É só verificar que as obras não páram e que a população pode não estar nem aí para a movimentação dos partidos, mesmo que ainda aliados, se articulam em candidaturas.