Pedida informação em estatal suspeita de acomodar aliados

Com o intuíto de acomodar aliados, a Empresa de Planejamento e Logística (EPL) – estatal ligada ao Ministérios dos Transportes – será alvo de investigação em sua estrutura, depois que o jornal Valor Econômico veiculou materia sob o título: “Protagonista no primeiro pacote de concessões, EPL vive ostracismo”. O senador Cássio Cunha Lima, líder do PSDB no Senado, encaminhou o pedido de informações.

Cássio acredita que pode haver outras irregularidades. O pedido de informações  desembarcou no gabinete do ministro dos Transportes, Antônio Carlos Rodrigues, esta semana. Antes, o parlamentar paraibano protocolou um requerimento de informação foi protocolado pelo senador paraibano na Secretaria Geral da Mesa.

A matéria do jornal Valor Econômico revelou que a estatal está limitada a 28% do orçamento previsto para este ano. O jornal especula, ainda, que a empresa sequer é peça central do pacote de concessões que o governo anunciou recentemente.

Aliados – O senador Cássio justificou assim o ato: “É inadmissível que uma empresa que se encontra no ostracismo pela descontinuidade que tem marcado o governo Dilma, com constantes mudanças no modelo de logística de transporte e nos postos de comando de órgãos e empresas estatais, cuja finalidade exclusiva é acomodar aliados políticos e agradar sua base aliada, onere o erário com vultosos gastos com pessoal e aluguéis de suas acomodações”.

Na solicitação, o líder pede que o ministro Antonio Carlos Rodrigues encaminhe ao Senado o custo mensal da folha de pagamento da EPL, com e sem encargos; os critérios adotados para escolha das pessoas que ocupam os cargos em comissão e não possuem vínculo com a Administração; assim como o número de cargos ocupados por servidores públicos cedidos e quantos são os cargos em comissão ocupados por pessoas sem vínculo com a Administração.


Descubra mais sobre Marcone Ferreira

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.