Maranhão lança Manoel Jr sem ouvir o partido

Em encontro reservado, o PMDB decidiu que o partido terá candidato próprio a prefeito de João Pessoa, tendo já escolhido o nome do deputado Manoel Júnior, que devota rara lealdade ao presidente da legenda José Maranhão. Sua fidelidade, no entanto, não é cega.

O pré-lançamento de uma candidatura faltando mais de um ano para as eleições municipais significa desgastar o nome do preferido, sobretudo quando lançado de forma antecipada e sem que as lideranças em sua totalidade tenham tomado conhecimento, a exemplo do deputado Gervásio Maia.

Sequer, Gervásio soube da reunião de sexta-feira. É o mesmo que subestimar o nome e repetir os erros do passado. Ora, a menos que Maranhão queira se vingar de Manoel Júnior, deixando mais pra frente uma avaliação sobre GM através de uma pesquisa. Afinal de contas, trata-se de uma liderança reconhecida da população da capital.

Gervásio, como se sabe, é eleitor de João Pessoa desde os 18 a anos de idade e mais importante: é o futuro presidente da Assembleia, o Poder Legislativo do Estado. Agora, o que José Maranhão e Manoel Júnior combinaram não se tem conhecimento.

Manoel Júnior tem pressa, enquanto Gervásio Maia já deve estar dizendo pelos cantos da cidade o seguinte: “Eu também estou com o meu nome à disposição do partido”. O PMDB, faltando mais de um ano para as eleições, erra na estratégia.