Cássio impõe derrota ao governo com CPI

A mídia nacional debita na conta do senador Cássio Cunha Lima, líder do PSDB no Senado, a abertura da CPI dos Fundos de Pensão. O problema era o número de assinaturas ao requerimento, assegurada depois da meia-noite. O esforço mobilizou toda a assessoria da liderança dos tucanos confiada ao parlamentar paraibano.

Cássio esperou até depois da meia noite desta quarta (6) e somente com a virada do relógio é que ele respirou aliviado. A preocupação era a retirada de assinaturas, o que não aconteceu e ai o líder dos tucanos comemorou na intimidade. CCL articulou tudo, mas não é o autor do pedido. Apenas trabalhou apostando na descoberta de um novo escândalo do governo petista.

Como se sabe, o requerimento pedindo abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito é exigido assinaturas mínimas, no caso do Senado com 81 integrantes no seu colegiado são necessários o apoio de 27 senadores, conforme o regimento interno. Foi com esse número que a proposta segue adiante. O governo fracassou.

Os senadores Aloysio Nunes (PSDB-SP) e Ana Amélia (PP-RS) são autores do pedido de CPI, que já foi lido em plenário pelo presidente Renan Calheiros (PMDB-AL), governista, mas nem tanto. Agora, tem-se cinco dias para a indicação dos representantes das legendas na comissão, que terá 11 membros.

Os fundos de pensão das estatais são o foco. Quais sejam: Petros (Petrobras), Postalis (Correios) e Previ (Banco do Brasil).

Salve-se quem poder.


Descubra mais sobre Marcone Ferreira

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.