CPI pra que se tudo acaba em ‘pizza’?

A moda das CPIs está em plena evidência. É assim, aparecem por temporada. O deputado Dinaldinho Wanderley (PSDB), autor de uma que pede investigação sobre o uso do programa Empreender-PB na campanha eleitoral do ano passado, teve a iniciativa de bisbilhotar a Secretaria Legislativa para saber a ordem do seu requerimento.

Sabe apenas que o pedido está protocolado desde 15 de abril, tendo sido recepcionada pela Mesa Diretora da “Casa”, que ainda não se pronunciou a despeito da abertura da CPI. Recebeu a resposta que outras duas solicitações estão sendo analisadas. Isso preocupou o parlamentar tucano.

Havia a informação que a CPI do Empreender estaria na fila por causa de outros pedidos de abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito, considerando que da Telefonia já está em pleno vapor. Há outra solicitação para se investigar a dos Pardais. No entanto, a dúvida é se a atribuição é da Assembleia ou Câmara Municipal de João Pessoa.

Dinaldinho está convicto que o seu pedido é o segundo:

– Ainda estamos aguardando o posicionamento oficial do presidente Adriano Galdino, mas eu tive o cuidado de, junto com o secretário legislativo folhear os dois livros de requerimentos da Casa, folha por folha, onde tinha a instalação de apenas uma CPI, a da Telefonia. Sendo assim, a CPI do Empreender é a segunda.

Ele se apega no Regimento Interno, “que não pode ser atropelado”, destacando que “somos a favor da legislação e de sua forma vigorosa
da lei e não vamos aceitar ter esse pedido de CPI atropelado por interesses de quem quer que seja”, concluiu.


Descubra mais sobre Marcone Ferreira

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.