PSDB vê CPI mote para entender uso do Empreender

Pelo discurso que ostenta o deputado Dinaldinho Wanderley, líder do PSDB na Assembleia, é como se a CPI do Empreender viesse a corroborar com a ação que tramita na Justiça Eleitoral pedindo a cassação do governador Ricardo Coutinho (PSB) por uso econômico com recursos do programa nas eleições passadas. Sem dúvida, a Comissão Parlamentar de Inquérito é importante pelo aspecto de esclarecer como o dinheiro público saiu pelo ralo da campanha de 2014.

Com farta matéria-prima, inclusive oficial porque são dados de uma auditória do próprio governo, o líder dos tucanos é um entusiasta para comprovar que, de fato, houve um desequilíbrio enorme na disputa em que o governador Ricardo foi reconduzido ao cargo. A CPI do Empreender já está sendo considerada de “fim do mundo”, comparando a nacional que atestou a existência do mensalão.

A oposição está otimista. Conseguiu as assinaturas necessárias para abertura da CPI, até gerou uma crise na base do governo por causa da adesão dos petistas Anísio Maia e Frei Anastácio. Eles já disseram que não retiram o apoio de jeito nenhum. A única preocupação se a Mesa Diretora engavetar o requerimento. “Aí recorremos a Justiça”, prometeu Dinaldinho.

“Se há uma auditoria do próprio governo atestando que 100% dos contratos do Empreender apresentaram problemas. Menores de idade receberam DINHEIROdo programa. Negócios com índices altíssimos de inadimplência e um gasto exorbitante em período eleitoral. Nada mais do que a obrigação do legislativo de estar atento a esse quadro”, justificou.

A movimentação mexeu com as cadeiras do Palácio da Redenção.


Descubra mais sobre Marcone Ferreira

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.