‘Mais Médicos’: Cássio vê manipulação sobre informações

Líder do PSDB, o senador Cássio Cunha Lima alertou a sociedade nesta terça (31) a respeito de uma clara manipulação de informações sobre a execução do programa Mais Médicos. Para ele, está evidente o interesse federal de continuar financiando a ditadura castrista em Cuba.

Destacou vários pontos que ferem frontalmente os princípios democráticos, que devem prevalecer no Brasil, tais como o fato de o governo federal repassar para o governo cubano – e não para os próprios médicos, os salários dos trabalhadores. “Para se ter uma ideia, o Brasil paga R$ 10.400 por cada médico à para a ditadura cubana. Cuba repassa apenas R$ 3.120 para cada médico em serviço no Brasil…”.

“[…] O Brasil já havia transferido para a Ilha, até agosto de 2014, um montante superior a 1,6 bilhão de reais, o que equivale a um terço do valor total investido pelo governo brasileiro na construção, reforma e ampliação de hospitais, postos de saúde e UPA’s no ano anterior” justificou.

Chamou a atenção para algo já observado desde o começo do programa e sugeriu que os salários dos médicos cubanos sejam pagos diretamente aos profissionais ou, então, destinados para que estados e municípios contratem médicos para suprir o déficit existente.

Cássio demonstrou sua preocupação com as condições de trabalho a que são submetidos os médicos cubanos, sobretudo no tocante a liberdade individual. Como se sabe, existem coordenadores nos estados com altos salários, que têm como função controlar e espionar esses profissionais para evitar que eles fujam, engravidem ou violem outros item da cartilha de conduta recebida antes da partida da Ilha.

Assim vivem os médicos cubanos no Brasil.

Blog/Assessoria