Ameaça de Zé Dirceu a Lula: ‘vocês me abandonaram há tempos’

Semana passada a senadora Marta Suplicy disse cobras e lagartos da presidente Dilma, do governo e do PT, inclusive desancou companheiros históricos como Aloísio Mercadante e Rui Falcão, tachando-os de “inimigo” e “traidor”, respectivamente. As declarações da ex-ministra, no entanto, é fichinha em comparação ao que proclamou José Dirceu, condenado e cumpre sentença no caso do Mensalão.

Soa como uma ameaça as declarações de José Dirceu, um recado direcionado ao ex-presidente Lula. “Vocês me abandonaram há tempos”. A frase pronunciada pelo ex-ministro é matéria das páginas da Revista Veja desta semana. Mostra que as coisas no Partido dos Trabalhadores não andam as mil maravilhas. Está muito claro a cara de nojo que há neste momento entre os petistas que se declaram abandonados. Assim como Dirceu, Marta…

O caso de José Dirceu, conforme matéria da Veja, “o que serve de combustível para o fogo amigo dentro do PT é o escândalo de corrupção da Petrobras”. Destaca que “no ano passado, petistas que comandavam o movimento ‘Volta Lula’ criticaram a presidente Dilma Rousseff por admitir que aprovara a compra da refinaria de Pasadena com base num relatório falho”.

Pois bem. A revista ressalta, ainda: “A tensão decorrente das investigações e do julgamento do esquema de corrupção na Petrobras colocou em trincheiras opostas as duas mais importantes lideranças históricas do PT: Lula e seu ex-ministro José Dirceu…”.

“[…] Tão logo os delatores do petrolão disseram que o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque recolhia propina para o partido, Dirceu, o padrinho político de Duque, ligou para o instituto Lula e pediu uma conversa com o ex-presidente. O objetivo era se dizer à disposição para ajudar o companheiro a rebater as acusações e azeitar a estratégia de defesa…”.

“[…] Conhecido por deixar os soldados feridos pelo caminho, Lula não ligou de volta. Em vez disse, mandou Paulo Okamoto, seu fiel escudeiro, telefonar para Dirceu. Assim foi feito”.

E Okamoto ligou, conforme orientação do presidente Lula: “Do que você está precisando, Zé (Dirceu)?”. Então, a interpretação de Dirceu é que a pergunta veio como uma tentativa do interlocutor de mercadejar o seu silêncio. “[…] A mágoa com Lula, que teria abandonado durante o ano em que passou na cadeia, Dirceu acrescentou pitadas de ira: “Você acha que vou ligar para pedir alguma coisa? Vocês me abandonaram há tempos”, respondeu JD.


Descubra mais sobre Marcone Ferreira

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.