‘O Brasil precisa gastar com eficiência o que já arrecada’, diz Ruy

Decerto, você que está lendo o texto que segue também não aprova a volta da CPMF, o famigerado imposto do cheque. É aquele mesmo que surrupiam de sua carteira algumas quantias todo mês, a pretexto de ser investido na saúde. Não acredite, porque quando estava em vigor o sistema não funcionava. Pelo contrário, era pior do que nos dias atuais.

Os parlamentares não querem nem ouvir falar na volta da CPMF, que o Congresso Nacional derrubou por causa dos problemas que trouxe ao povo paraibano. Há quem comece a se movimentar de forma contrária. O deputado federal Ruy Carneiro (PSDB) é um deles, destacando que “não cabe na cabeça e no bolso de nenhum brasileiro a criação de mais um imposto”.

Isso surgiu no encontro dos governadores realizado na Paraíba nesta terça (9). “Seguramente essa idéia não terá apoio dos brasileiros. Tanto é que o tema foi tratado superficialmente por alguns gestores. O Brasil não precisa de novos impostos. O Brasil precisa gastar com eficiência o que já arrecada”.

Ainda nesta linha de raciocínio, o deputado tucano ressalta: “O Brasil precisa reduzir os gastos com a máquina pública, combater a corrupção e revisar o seu Pacto Federativo que é um sacrifício para com os estados e municípios”.

O parlamentar recordou a luta para derrubada da antiga CPMF que segundo ele foi desvirtuada no atual governo do PT. “Lutamos para derrubar o imposto do cheque, a antiga CPMF, que naquele instante tinha perdido o seu real objetivo que era o de contribuir com o financiamento da saúde pública”, lembrou.

Ruy Carneiro, no entanto considerou a necessidade de mais investimentos na saúde pública, principalmente para os pequenos estados e municípios. Ele lembrou que o Brasil já conta com 39 impostos. “Basta, não cabe no bolso e nem na cabeça de nenhum brasileiro a criação de mais impostos”, concluiu.

Blog/Assessoria

 


Descubra mais sobre Marcone Ferreira

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.