Deputado Anísio Maia volta a ser Anísio Maia

Há uma pedra no caminho da diplomacia do deputado Anísio Maia (PT). Chama-se o ex-petista Ricardo Coutinho, governador do Estado. Dependendo o modo como lidar com o “socialista”, o parlamentar restaura o seu estilo “independente” de ser ou volta a postura do aguerrido oposicionista Anísio Maia. Quando isso acontece, ele avacalha de vez.

E Anísio decidiu avacalhar de vez, conforme foi exposto na coluna do jornalista Vanderlan Farias, do portal Maispb. Ao ser instado a falar sobre o espaço (s) que o PT irá ocupar na estrutura administrativa do governo Ricardo Coutinho a partir de janeiro de 2015, Anísio resolveu ser ele mesmo:

“O PT não está desesperado. Não estamos atrás de cargos. Não aceitamos qualquer lugarzinho”.

Na verdade, o petista quer soltar o grito que está na garganta. Parece prevê que a aliança acabou e que o governador deseja apenas conquistar os votos do partido no plenário da Assembleia para se livrar do julgamento da prestação de contas do exercício de 2011, escapando de uma possível reprovação.

Sob os refletores, o governador Ricardo Coutinho afirmara que “caberia apenas a ele escolher o seu secretariado, numa resposta às cobranças do PT”, contou Vanderlan em sua coluna.

Retorne-se ao terceiro parágrafo: “Não aceitamos qualquer lugarzinho”. A julgar pelas declarações, o deputado Anísio mostra que pretende avacalhar de vez a relação entre petistas e “socialistas”.