Qual é a de Veneziano ao defender a troca de comando do PMDB?

A despeito do ser humano, Nelson Rodrigues ensinou que é precedido de uma sucessão de poses. Faz pose ao acordar, ao escovar os dentes, ao tomar café, ao trocar de roupa antes de ir para o trabalho… Enfim, tem pose para tudo e nos últimos dias pós-eleição de segundo turno o acompanhamento de poses do recém eleito deputado federal Veneziano Vital (PMDB) tornou-se um exercício divertido.

Primeiro, bateu de frente com o presidente estadual do PMDB, senador recém eleito José Maranhão. Enquanto defendia a punição dos dissidentes, com o objetivo de atingir Manoel Júnior; JM veio à boca do palco pregar a unidade do partido. Aliás, o caminho mais lógico para evitar uma crise interna sem precedente.

Não se sabe, ao certo, aonde Veneziano quer chegar ou o alvo a ser atingido. Se Manoel Júnior, cotado para líder do PMDB na Câmara Federal; ou a presidência do PMDB da Paraíba, sob o comando, como se sabe, do futuro senador José Maranhão. Talvez os dois.

Em entrevista radiofônica nesta segunda (4), uma semana após o segundo turno das eleições, Veneziano já antecipou colocando para “fora” da presidência do peemedebê de João Pessoa o deputado federal Manoel Júnior, entregando a Gervásio Maia Filho. Tem-se conhecimento que há um acordo, que necessariamente não precisará ser cumprindo.

A pose é a mesma da aliança que o PMDB fez com o PSB, quando proclamava-se a verdadeira oposição na disputa do primeiro turno. O resto todo mundo já sabe, pois vem precedida de uma sucessão de poses.

Sorte de Maranhão que se elegeu.


Descubra mais sobre Marcone Ferreira

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.