Contra a imprensa que imprensa, a revolta do governador

O governador Ricardo Coutinho (PSB) aprontou uma das suas na manhã desta terça (16), quando acusou a imprensa paraibana de “maximizar”, ou dar ampla repercussão, ao que declara ou, ainda, se sente atingido por algum malfeito do seu governo. Provocou uma crise com o PT, quando fez duras criticas ao Partido dos Trabalhadores, a presidente Dilma e ao ex-presidente Lula e ai a quem ele responsabilizou: a imprensa, claro.

Em entrevista, Coutinho acusou a imprensa de ser responsável pela turbulenta crise causada pelo próprio governador com o PT, da presidente Dilma e do ex-presidente Lula. Uma reação bem típica do estilo do governador do Estado. É responsável por criar o fato mais relevante na campanha do adversário Vital do Rêgo Filho, que trouxe a presidente da República para dentro do guia eleitoral do candidato peemedebista.

Tudo medido e pensado, porque a estratégia de Ricardo é fazer com que Vital cresça alguns pontos na pesquisa de opinião pública para força o segundo turno da campanha para o governo da Paraíba. E conseguiu, quando trouxe Dilma para dentro do guia do PMDB, mas desmoralizou o PT nacional e o PT da Paraíba.

Governador, não foi a imprensa que inventou suas declarações no discurso da visita da presidenciável Marina Silva, que saiu da Paraíba decepcionada com o pequeno público que foi vê-la em solo paraibano. Mas o que a imprensa conseguiu extrair de novidade dos comícios foram as criticas de Ricardo ao PT, a Dilma e a Lula.

“Querem (o PT) colocar para Marina o mesmo discurso do medo (em relação a Marina). O Brasil não tem medo. O Brasil tem medo é da situação em que se encontra… O Brasil tem medo é de desemprego… O Brasil tem medo é do retorno da inflação.”

Palavra do governador Ricardo Coutinho, que disputa à reeleição.


Descubra mais sobre Marcone Ferreira

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.