Discípula de Arraes, Nadja anuncia voto em Cássio

Ex-candidata ao governo do Estado, a petista Nadja Palitot não representa só uma adesão a candidatura do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) ao governo da Paraíba, mas um pedaço político de Miguel Arraes na campanha do tucano, de quem é discípula e, por tabela de Eduardo Campos, presidenciável morto em desastre aéreo quarta (13). A história de Nadja com PSB dispensa representação.  Todo mundo já conhece… Hoje, a legenda está em outras mãos.

Pois bem. Nadja mergulhou na onda amarela da candidatura do senador Cássio Cunha Lima ao governo da Paraíba. O anúncio aconteceu na manhã desta terça (19) durante entrevista coletiva na API. Disse que está apoiando o tucano, mas continua votando em Lucélio Cartaxo (PT) para o Senado da República, Dilma para presidente da República e seguidora do prefeito Luciano Cartaxo.

Antes de declarar seu voto em Cássio, ela entregou o cargo (adjunta da Articulação Política do Município) e encaminhou um pedido de licença como filiada do Partido dos Trabalhadores, na Paraíba. Fez um único pedido a Luciano e ao ex-presidente do PT, Rodrigo Soares, para que Ricardo Coutinho  não voltasse a ter influência no petê.

Antes de começar a entrevista coletiva, Nadja pediu um minuto de silêncio em homenagem a Eduardo Campos. E começou sua fala lamentando a atitude de correligionários partidários por terem rifado sua candidatura ao governo. Para complicar ainda mais a situação, segundo ressaltou, “decidiram declarar apoio ao governador (Ricardo)”.

Declarou-se traída partidariamente e revelou: “Tomei conhecimento pela imprensa que minha pré-candidatura tinha sido rifada. Senti muito e não fiquei bem. Dei o melhor e estive ao lado do partido, mas não poderia acompanhar a decisão em relação ao PSB”.

A propósito do PSB, Nadja recebeu das mãos de Miguel Arraes e entregou ao hoje governador Ricardo Coutinho.

Nadja justificou assim sua decisão: “Acredito que estou diante de um senador jovem e renovado e que vem dar o melhor para a Paraíba. Queremos um governo que não governe de costas para o funcionalismo e que não feche escolas e nem delegacias e que trate bem o seu povo”.

Cássio agradeceu, pois vai ter mais uma guerreira socialista em sua campanha.