SUPOSTA DENÚNCIA DE COOPTAÇÃO DE prefeitos não produziu efeito nenhum

ccldenuncia

Frustrada a tentativa de envolver o candidato de oposição ao governo da Paraíba, Cássio Cunha Lima (PSDB), em escândalo de cooptação de prefeitos para a base de apoio nas eleições de outubro, agora procura-se os culpados pela trama malfeita. Houve quem dissesse que o uso do grampo telefônico – só com a autorização da Justiça – foi feito por conta própria.

Ou seja, o ex-secretário Sales Dantas (Pesca) vai ter que arcar com as consequências, porque, de acordo com o coordenador de campanha do candidato do PSB, Célio Alves, a gravação foi por conta própria. “Ele (Sales) soube que teve uma denúncia e resolveu brincar de colar, colou e aí colou, a gravação mostra isso. Que desculpa estapafúrdia!

Soube-se agora que o ex-secretário Sales Dantas vai ter que se explicar na Justiça por crime de falsidade ideológica. Ora, ele teria usado o nome de um assessor do candidato Cássio para chegar até o prefeito Cícero Francisco (Caiçará), que é do PSB, partido do candidato à reeleição.

Homem probo, integro, pacato… chama-se Valdo Tomé o assessor do candidato do PSDB usado na farsa para dar conotação de crime eleitoral.

A suposta denúncia, que parece mais um tiro no pé, tenta envolver Cássio e também o presidente da Assembleia, Ricardo Marcelo (PEN), que os “socialistas” consideram como inimigo do governo. A campanha que estava morna, parece que esquentou de vez. Os advogados do candidato do PSB foram para dentro da API jogar o que se pretende dar uma conotação de escândalo ao meio-fio.

Levaram o caso para à Polícia Federal, a quem caberá fazer uma investigação. Os advogados garantem que a gravação foi obtida de forma legal e apresentam provas suficientes para que as denúncias sejam apuradas, pois são consideradas de “muitos graves” pelos defensores da candidatura do PSB.

Na fala dos advogados, o apoio de prefeitos estaria orçado entre R$ 200 e R$ 600 mil, por “cabeça”. Dispararam que isso aconteceu com o de Caiçara e outros que debandaram da base governista, a exemplo dos citados dos municípios de Dona Inês e Gado Bravo.

Como o pau se quebra no lombo do mais fraco, Sales Dantas é quem vai pagar o pato.

Aguardemos!


Descubra mais sobre Marcone Ferreira

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.