PEDRO CUNHA LIMA: ‘LAMENTO a desvalorização da democracia’

Por não querer comparar as gestões, talvez o caminho é evitar o confronto contra quem mais incomoda na disputa pelo governo da Paraíba. Aí se busca a judicialização das eleições, onde o mais correto é deixar o povo votar. Nesta quinta (10), durante um evento para anunciar apoio a sua candidatura a deputado federal, o advogado Pedro Cunha Lima (PSDB) foi instado a falar sobre o pedido de impugnação da candidatura do seu pai Cássio Cunha Lima ao governo da Paraíba.

A ação foi protocolada no Tribunal Regional Eleitoral e, durante entrevista ao repórter Fernando Braz, do Sistema Arapuan de Comunicação, Pedro disse que se repete a história de 2010, onde foi utilizada a mesma alternativa do caminho judiciário. “Bateram nesta tecla e lamento pela desvalorização da democracia. O povo tem que votar, escolher…”.

E complementou: “Em 2010, chegada a Lei da Ficha Limpa e existia um debate jurídico muito fervoroso em cima daquilo, pois acreditávamos no nosso direito e, como advogado, analisava a questão da segurança jurídica, da irretroatividade da lei e da coisa julgada…”.

“… Confiávamos no nosso direito e Cássio empenhou sua palavra e disse que era candidato e poderia ser e assim foi até hoje com a confiança do povo da Paraíba, superando todo esse debate”, frisou.

Adiantou não ter a menor dúvida de que estão tentando repetir o cenário do passado, “mas o Tribunal Superior Eleitoral já decidiu à unanimidade que a contagem do prazo se dá dia a dia e esse era o argumento final”.

Pedro lembrou, ainda, que “mesmo que se alargue o prazo de inelegibilidade de três para oito anos, ainda assim, no dia da eleição já terão passado os oito anos e Cássio é elegível”.

Consciente de que o jogo é pra ser jogado, proclamou que os questionamentos jurídicos são uma afronta à democracia, “mas o PSDB vai responder a tudo em direção a uma situação consolidada juridicamente e respeitando a vontade do povo de votar”.

Pode ser esse e sentimento do eleitor para essa movimentação de bastidores, articulação que acaba beneficiando que está sendo atingido com a estratégia de buscar à Justiça, esquecendo que eleição se vence é no voto.

Pedro recebeu apoio do ex-vice-governador José Lacerda Neto e da vereadora Raíssa Lacerda, filha de Zé, na sua pretensão de disputar uma vaga na Câmara Federal.