TUCANOS FAZEM UM ARRASTÃO DE partidos do conglomerado governista

Faltando três dias para o encerramento do prazo legal das convenções partidárias, o PSDB do senador Cássio Cunha Lima realiza uma espécie de arrastão no conglomerado da base governista. Já empurrou pra fora do bloco do “socialista” Ricardo Coutinho o PSD do vice-governador Rômulo Gouveia e o próximo a desembarcar será o PDT do deputado federal Damião Feliciano.

Fala-se também no PV do ex-deputado Sargento Dênis, este último incomodado com a presença do PT na base aliada do projeto de reeleição do governador. Aliás, a chegada dos petistas foi um dos motivos do rompimento de Rômulo Gouveia, que anunciou no começo da tarde desta sexta (27) sua volta ao grupo político liderado pelo senador Cássio, pré-candidato à sucessão governamental.

Os tucanos estão com entendimentos avançados com o PMDB do ex-governador José Maranhão e do senador Vital do Rêgo Filho. Ricardo trabalha como louco para atrair o Partido do Movimento Democrático Brasileiro, que descartou a tese de apoio ao pré-candidato à reeleição.

Para atrair o peemedebê, RC está disposto a tudo, desde abrir espaço para a indicação do nome a vice – precisa ser de Campina Grande – até a vaga de senador, dando um drible na pretensão do mais novo aliado do conglomerado “socialista”, o Partido dos Trabalhadores.

Prosperando as articulações, o tempo de televisão do PSDB na propaganda eleitoral poderá ser maior do que a do governador reeleitoral. O Palácio da Redenção fareja de longe o cheiro de queimado e corre para não ficar pra trás na corrida do perde e ganha nesta disputa de atrair o maior número possível de aliados.