APROXIMAÇÃO COM PMDB DEVE separar o PSD de Rômulo do PSB

Há um clima de expectativa, inclusive apostando em algo que, se ficar consolidado, a reviravolta na política paraibana terá uma repercussão maior do rompimento político de Cássio Cunha Lima do governador Ricardo Coutinho. Falam que o PMDB de José Maranhão, Vital do Rêgo e Veneziano Vital está a caminho do Palácio da Redenção, prontos para reeditar a aliança que não deu certo nas duas eleições do “socialista” RC para a Prefeitura de João Pessoa.

Os peemedebistas Maranhão, Vital e Maranhão tratam o assunto como especulação. Porém, as reações mostram que a movimentação existe de fato e que os entendimentos estão pra lá de adiantados. Devem fazer a campanha de outubro juntinhos. Bem, a pergunta que se faz é a seguinte: Como vai ficar Rômulo Gouveia, ou como ele se encontra, diante dos movimentos surgidos em suas barbas, sem reagir ou tomar uma atitude política para coibir esse novo cenário?

Bem, só quem pode responder é o próprio Rômulo. No entanto, é possível antevê que não vai haver vaga para ele em canto nenhum na chapa majoritária. Mesmo se houver deverá dividir o palanque com os desafetos das campanhas municipais de Campina Grande.

Agora, tudo isso está acontecendo e porque Ricardo não conversa com Rômulo sobre a rasteira que o PSB pretende dar no presidente do PSD da Paraíba? Outra pergunta que não quer calar.

Aos pouquinhos, o vice-governador Rômulo Gouveia descobre que a harmonia com o “socialista” é muito difícil. Por isso, os tucanos entenderam construir um novo ninho distante dos girassóis.