ATÉ HOJE PETISTAS ESPERAM posicionamento dos progressistas

Não é das melhores a relação do Partido dos Trabalhadores com o PP. Diz-se que é cada um para o seu lado nas eleições deste ano. Quanto a isso não existe nenhuma dúvida, tudo porque os progressistas cuidaram de enfraquecer o “blocão” vencedor do pleito municipal de João Pessoa em 2012.

“O PP quebrou o acordo, infelizmente”, lamentava o presidente estadual do Partido dos Trabalhadores, Charlinton Machado. É verdade, as duas legendas haviam firmado um pacto de lançamento de pré-candidatura a governador. O PT e PSC – o outro integrante do grupo – cumpriram e lançaram seus nomes.

Os progressistas, estrategicamente, esperaram até que o “blocão” desbotasse. Na ocasião, o deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP) ainda era ministro das Cidades. Foi ele quem lançou a idéia de lançar nomes para o governo, talvez na tentativa de afastar os petistas e o PSC do PMDB de Veneziano Vital.

O PT lançou o nome da ex-deputada Nadja Palitot, retirando-a no Congresso de sábado (11). O PSC também apresentou o ex-deputado federal Leonardo Gadelha. Os dois ficaram esperando que o PP fizesse o mesmo. E nada!

Nada mesmo. O PP está próximo de apoiar a pré-candidatura do tucano Cássio Cunha Lima. No entanto, ainda não veio à público dizer o porquê da quebra do acordo. “Nós estamos esperando esse posicionamento”, disse o presidente petista Charlinton.

No entanto, o Partido dos Trabalhadores entende que não está encerrado o diálogo com o PP e PSC. “Continuaremos esperando pelo PP […]. Afinal, existe um acordo que somente será desfeito quando sentarmos para tomarmos uma decisão definitiva”.

Não custa nada esperar sentado. Em pé cansa!


Descubra mais sobre Marcone Ferreira

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.