Governo usa tese de chantagem para denegrir a imagem de vereador

Vereador mais bem votado nas eleições de 2012, Raoni Mendes (PDT-foto) não pertence mais a base do governo municipal. Ele anunciou o rompimento político-administrativo depois de uma reunião com o prefeito Luciano Cartaxo (PT). “Não abro mão do IPTU Proporcional, uma conquista da sociedade de João Pessoa”.

Raoni deixou bem claro isso para o prefeito da capital, que revogou a lei do vereador aprovada em 2009 a pretexto de que era inconstitucional. Muito ético, o parlamentar disse que seu irmão ocupa o cargo de secretário-adjunto da Emlur e já arrumou as gavetas do seu gabinete.

“Não apenas o cargo do meu irmão está à disposição do prefeito, como também outras funções de menor importância que porventura tenha a minha indicação”, comentou Raoni.

Quem estava na reunião tratou de jogar ao meio-fio uma maldade contra o deputado do PDT. Repassaram a informação que ele tinha encaminhado uma lista para nomeação com cerca de 400 nomes. “Isso é uma inverdade e desafio quem esteve no encontro a vir de público que tratei desse assunto com o prefeito…”.

“Fui discutir com o prefeito da lei, que o prefeito revogou e prejudicou a população dessa cidade”, afirmou.

Seguro, o vereador adiantou que foi taxativo na conversa com Cartaxo. “Sem IPTU Proporcional não permaneço em sua base”.

Em seguida, bateu de retirada.


Descubra mais sobre Marcone Ferreira

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.