Intransigência do governador paralisa atividades do legislativo estadual

Uma coisa que o governo “socialista” tem feito é tentar confundir a cabeça da população paraibana. Faz sem se incomodar com as possíveis conseqüências, mesmo que venha causar prejuízos ao próprio Estado. Tome-se como exemplo a intransigência que motivou a suspensão da votação do orçamento pelo Legislativo estadual.

A votação está prejudicada e o início do recesso parlamentar adiado porque o governador Ricardo Coutinho (PSB) se mantém na postura de intransigência com relação aos recursos destinados à Defensoria Pública, conforme ressaltou o deputado Trócolli Junior (PMDB).

Para o deputado, a melhor forma determinar o impasse seria o governador voltar atrás a manter os R$ 71.641.794 milhões destinados ao orçamento do órgão.

“O governador quer tirar quase R$ 17 milhões da Defensoria Pública. De um orçamento de mais de R$ 71 milhões, ele quer repassar R$ 55.103.294 milhões…”.

“… Não fosse essa intransigência não estaria havendo esse impasse. Mas, por conta disso, a LOA ainda não foi votada e nem tem data para acontecer, porque a Assembleia está esperando uma decisão definitiva do Supremo Tribunal Federal para que o impasse termine”.

A votação do orçamento está suspensa por força de uma decisão do ministro Dias Tófolli, que concedeu liminar a um pedido da Associação Nacional dos Defensores Públicos, alegando que o governo do Estado reduziu valores do orçamento do órgão para 2014.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.