Nelson Lira, o falso, partidariza Botafogo, por Walter Santos

Antes de qualquer comentário, eis uma revelação: ao longo dos tempos enquanto convocado ou não sempre contribui dentro do possível com a gestão Nelson Lira. Nesse contexto, construí uma relação de respeito e admiração até que, um dia, ele resolveu assumir sua verdadeira identidade de homem público ardiloso, interesseiro e falso.

O ato covarde dele, ontem, de impedir o acesso da repórter Carla Braga ao treinamento do Botafogo revela essa sua aura de ditador barato, despreparado e a serviço de jogo político desvendado a partir de denúncia do WSCOM provando que ele está a serviço do governador do Estado em detrimento da imperiosa necessidade do clube, no melhor de seu tempo na retomada de glórias, precisar de pluralidade e acatar todos os apoios, em especial do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, responsável imensamente pelas condições do Bota voltar a vencer.

A ira desnecessária e destemperada tem a ver com revelações do Portal expondo “jogo e interesses pessoais” do presidente pegando carona numa fase extraordinária do Belo.

O Nelson Lira falso, fingido manso, agia diferente lá atrás, quando o Botafogo magrelo era apenas a força de abnegados diretores com contribuições financeiras pessoais. Na formação da nova fase, o “bonzinho” implorou – e nem precisava disso – que o prefeito assegurasse valores financeiros em condições de bancar o elenco. E isso, no começo do ano, Luciano fez, diferentemente do governador.

Mas veio a fase de glória e o que aconteceu? – o lobo na pele de cordeiro na pessoa de Nelson Lira assumiu o sentimento de ingratidão, falsidade e oportunismo deixando de reconhecer publicamente, e em primeiro e especial lugar, quem mas fez pelo Botafogo, no caso o prefeito da Capital.

Para quem não sabe, Nelson preferiu seu companheiro de lutas partidárias, até porque ele, petista por Oportunismo, sempre agiu em combinação com a ala de apoio a Ricardo daí sua relação e preferência, algo coerente, aí sim sua verdadeira identidade.

Só que o Botafogo não lhe pertence, nem a ninguém – exceto à cidade, e ele não pode, não tem o direito de partidarizar o Belo.

O time preciso de apoio de todos mas, quando ele age ardilosamente contra os verdadeiros apoiadores do clube é sinal de que está míope e despreparado para ser plural e à altura dos interesses maiores do Botafogo.

Fora a partidarização do Belo!

nelson lira

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.