Senador sai em defesa dos produtores paraibanos endividados até a medula

vitalministros  

Em mais uma audiência em Brasília, o senador Vital do Rêgo (PMDB) se reuniu com o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Andrade, e pediu em favor dos produtores rurais do Estado.

No encontro, realizado no gabinete do ministro, Vital lembrou que o Nordeste, e particularmente, a Paraíba ainda sentem os efeitos da seca, necessitando assim, de ações emergenciais do governo federal. Vital também agradeceu ao ministro pelos benefícios que ele já autorizou para os municípios paraibanos.

Durante o encontro, o ministro detalhou para o senador as medidas adotadas pelo Governo Federal para apoiar a pecuária leiteira durante a safra 2013/14. Antônio Andrade citou a proposta regionalizada do Plano Agrícola e Pecuária para o semiárido, com a suspensão da execução das dívidas dos agricultores junto aos bancos; e a autorização por três anos para que indústrias sob fiscalização federal possam destinar 35% da capacidade total de produção para a reconstituição de leite em pó.

Como o tema foi tratado na pauta, Vital do Rêgo lembrou ao ministro que é autor de um projeto que estabelece o perdão das dívidas rurais por parte das instituições bancárias como o Banco do Nordeste.

Como forma de amenizar a situação emergencial de abastecimento de leite no semiárido nordestino em particular na Paraíba, em consequência da seca enfrentada pelos produtores, o senador Vital do Rêgo, assegurou junto ao Ministério da Agricultura, a produção de leite “longa vida” e pasteurizado a partir da reconstituição do leite em pó.

De acordo com Vital, a reconstituição é a adição de água potável ao leite em pó para torná-lo fluído e com as mesmas características dos produtos já conhecidos pelo consumidor. “Somente estabelecimentos sob inspeção federal nos estados nordestinos estão autorizados temporariamente pelo Mapa a esse tipo de produção, limitada a 35% da capacidade produtiva de cada fábrica”, afirmou.

O senador ressaltou que devido à seca que afeta municípios nordestinos, a escassez de alimentos para os animais reduziu a produção leiteira e levou, até mesmo, à morte do gado na região. A medida adotada deve auxiliar na recuperação dos índices produtivos anteriores ao período da seca.

“A situação que tem afetado milhões de nordestinos levou o Ministério da Agricultura a agir rapidamente. O objetivo é evitar prejuízos às economias locais e afastar a possibilidade de ocorrerem desabastecimentos para a população”, explicou o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Andrade.

Assessoria

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.