Governador tenta politizar jogo decisivo do Botafogo, por Walter Santos

                                      walter

Da coluna de Walter Santos, no seu Wscom:

Há que ser dito com todas as letras que o governador Ricardo Coutinho tem reconhecimento de ser torcedor do Botafogo de João Pessoa desde quando menino de calças curtas em Jaguaribe – bairro de classe média da Capital. Mas, neste domingo, ele arriscará muitas das fichas num gesto perigoso de oportunismo político, que pode lhe render maus frutos por decidir fazer da decisão do Campeonato Brasileiro, da Série D, entre Botafogo e Juventude, uma forma de exibir-se com bem-feitor do tricolor da “Maravilha do Contorno”.

Antes do juízo conclusivo, se faz indispensável admitir que Ricardo “mexeu com os pauzinhos” para acelerar a entrega do Almeidão (arquibancada Sol) e até se refere como contribuinte do time pessoense, através do projeto “Gol de Placa” – invenção do então Governo Cássio. Mas, a rigor, ele quer mesmo é fazer propaganda da intervenção externa ao estádio, como a querer dizer aos quatro cantos que nunca se fez isso como fomento ao futebol.

De repente, não mais do que repente, depois de ausentar-se do estádio por toda a temporada do Campeonato Paraibano, Copa Nordeste e no atual Campeonato Brasileiro – Série D, eis que o governador pousa de “pára-quedas”, mesmo com legitimidade, querendo aparecer como “salvador da pátria” do Botafogo, que nunca foi, apesar de ter tido oportunidades enquanto prefeito e governador, mas só se lembrou de algumas “merrecas” de reais acanhadas conhecidas se comparado com a realidade recente.

Comparando números e atitudes

O fato é que Ricardo ainda muito incomodado com o prefeito Luciano Cartaxo, provável concorrente na PMJP em 2016, caso haja algum problema de não – continuidade no Governo, em face do chefe do executivo municipal ter resolvido “bancar” fortemente o Botafogo, o Auto Esporte e o CSP – principais times profissionais da Capital;

Talvez ela tenha se esquecido, mas lembramos alguns números a seguir:

Enquanto o governador chegou a admitir o repasse de R$ 235.000,00, Luciano Cartaxo dobrou o valor para R$ 570.000,00 destinando ainda mais R$ 240.000,00 ao Auto e R$ 180.000,00 ao CSP.

Nos últimos meses de Campeonato Brasileiro, em 2013, a Prefeitura destinou R$ 200.000,00 / mês, condição essa que o Governo do Estado não tem ofertado ao Botafogo, e sem a qual o time pessoense não teria conseguido bancar o elenco até o presente momento.

Afora tudo, Luciano esteve em todos os jogos do Botafogo, inclusive em Fortaleza, sempre no meio da torcida organizada na arquibancada sombra, diferentemente do governador, que não foi a nenhum dos jogos desta temporada.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.