Líder do governo revela mágoa de Cássio. “Vou levar à sepultura”

Reproduz-se nos bastidores que o fim da aliança do PSDB do senador Cássio Cunha Lima com o PSB do governador Ricardo Coutinho se transformará em brincadeira de gato e rato. Quem vai levar a pior ninguém sabe ainda, mas é fato que os “socialistas” pretende estar com o trunfo nas mãos para “bater” forte no provável candidato tucano ao governo do Estado.

Conforme relato a uma emissora de rádio local e reproduzida pelo repórter Roberto Targino, o deputado estadual e líder da bancada do governo, Hervásio Bezerra (PSB), revelou sua mágoa do senador Cássio. É a primeira vez que acontece, o que demonstra que há uma espécie de contra-ataque a movimentação do tucano, cuja tendência é romper a aliança de 2010 e disputar o governo no ano que vem.

A mágoa de Hervásio deve-se a não escolha do irmão Odon Bezerra para o cargo de desembargador do Tribunal de Justiça do Estado. Cássio era governador na época. “É uma história que me dói muito, que é a do 5º Constitucional em relação ao meu irmão, que diria que não foi uma preterição, mas uma escolha feita pelo então governador (Cássio) que compreendi, mas que traz ‘seqüelas’ até os dias atuais”.

Sem demonstrar que esse foi o argumento para sua saída do PSDB, Bezerra destaca, embora tenha declarado que “isso vou levar a sepultura”, que não guarda “mágoas” ou “rancor”, talvez numa tentativa de reaproximação do senador e provável candidato a governador em 2014 e tentar removê-lo de uma decisão que está bem próxima.

“Quando eu digo que quero votar em Cássio em 2018, ninguém duvide de mim. Ninguém tem direito de duvidas da minha palavra”, disse.

Por que não antecipa e vota em Cássio em 2014? Assim, Hervásio andaria na mesma mão do eleitorado paraibano. Até 2018 as coisas mudam muito e os compromissos assumidos nunca são cumpridos ao pé da letra.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.