GRANJA: Tribunal de Contas não vai afrouxar. Está sendo coerente

O Tribunal de Contas do Estado está para encerrar nesta quarta (30) o julgamento sobre a gastança da Secretaria da Casa Civil com a Granja Santana, residência oficial do governador. Deve encrencar apenas uma pessoa: Lúcio Flávio, atual braço direito do chefe do Executivo paraibano, o “socialista” Ricardo Coutinho.

Por ora, os indícios de irregularidades estão confirmados e o envolvimento do secretário-chefe da Casa Civil, Lúcio Flávio. Porém, no primeiro momento do julgamento da semana passada não encontraram-se digitais do governador do Estado.

Ele deverá sair ileso do caso. A despesa feita com a compra do enxoval do herdeiro do governador com a primeira dama Pamela Bório já teria sido pago, o que confirma o ilícito reafirmado pelos conselheiros Umberto Porto (relator), Fernando Catão, Nominando Diniz e Arthur Cunha Lima.

Os votos deles reiteraram o malfeito inscrito no parecer do Ministério Público de Contas. É um escândalo que nenhum dos conselheiros do TCE haverá de mudar o voto do julgamento anterior. O placar é 4×2 em favor das irregularidades.

Falta apenas o julgamento de outro item que também se reveste em escândalo: um troço chamado diárias pago de forma “graciosa” ao chefe do Executivo da Paraíba e alguns auxiliares do Palácio da Redenção. Não existe nada que coloque em dúvida a honradez da Corte de Contas.

O signatário do blog aconselha seus leitores que dêem crédito a tudo que restou apurado. A decisão até agora é coerente. Faz todo o sentido. O governo tem responsabilidade pelo malfeito, que é daqueles de deixar qualquer um de queixo caído. Foi essa a reação dos conselheiros, dos auditores, do Ministério Público. Enfim, do povo em geral.

Agora, quem afrouxar passaremos a desconfiar que aí tem coisa.

tce

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.