O rancor de Enivaldo e os prejuízos que ele traz, por Jônatas Frazão

O ex-deputado federal Enivaldo Ribeiro afirmou esta semana que uma aliança do seu PP com o PMDB nas eleições de 2014 é impossível. O pai do ministro Aguinaldo e da deputada Daniella disse que o motivo são as mágoas que ficaram da eleição de 2010, quando, segundo ele, a filha não foi eleita por manobra política engendrada pelos irmãos Vital e Veneziano.

Raposa velha na política, Enivaldo deveria entender algumas coisas que eu e boa parte da população entendemos. Vamos começar, então, do começo, mostrando que o discurso de Enivaldo não condiz com a sua prática nem com a realidade do que vimos.

Já ouvi Enivaldo dizer que o PP nãos e coliga com o PMDB, em apoio a Veneziano, porque não aceita imposição de nomes, num recado direto ao partido, pelo fato de ter lançado Veneziano pré-candidato a governador. Enivaldo diz que, em 2010, Veneziano “impôs uma candidatura e perdeu”, esquecendo-se que a sua filha, Daniela, foi “imposta” – utilizando o termo que o próprio Enivaldo usou – dois anos antes da candidata de Vené.

Já ouvi também, por exemplo, Enivaldo dizer que tem mágoa de Veneziano por ele e o irmão Vitalzinho terem tirado o PT de sua coligação. Vamos ao começo? O PT tinha um histórico de sete anos e meio apoiando Veneziano, que até a véspera do anúncio de que parte do PT iria migrar para a coligação de Daniella não sabia de nada do que estava sendo engendrado.

Naquele sábado – lembro como se fosse hoje – Socorro Ramalho, que havia concedido entrevista na TV na sexta-feira reafirmando a coligação com o PMDB, foi a encarregada de falar da dissidência do grupo que iria apoiar Daniella. O PT rachou em Campina. O grupo de Vladimir (que hoje já não está mais no PT), Basílio, Socorro Ramalho, Eurivaldo e outros foi para Daniella; o grupo de Alexandre Almeida, Gustavo e Flávia Pontinelle, Tico Lira, Charles e outros ficou onde estava.

Quem deveria ter raiva de quem, então? Veneziano, que se sentiu traído por companheiros petistas que cederam aos encantos do ministro Aguinaldo? Ou Aguinaldo, que após te engendrado o golpe petista teve que amargar ações na Justiça que inviabilizaram o objetivo da manobra? Quer dizer que só Enivaldo tem o direito de ficar com raiva?

Mas o pior é que Enivaldo parece que desaprendeu. Digo isso porque o próprio ministro Aguinaldo e a sua irmã, Daniella, estão vendo bem mais à frente que o pai, sem o rancor que deixa transparecer o ex-deputado campinense, ao apresentar um discurso mais ameno. Mesmo depois de tantas vitórias e dissabores na política o senhor ainda não aprendeu que a razão deve falar mais alto que a emoção, Enivaldo?

*professor aposentado da UFPB. Este comentário também está publicado no meu Facebook

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.