Reedição da aliança com PSB é coisa do passado; PSDB inicia outro jogo

Brasília – Eleito neste sábado (18) vice-presidente nacional do PSDB, o senador Cássio Cunha Lima está decidido a não concorrer à sucessão estadual em 2014. Em privado, manifesta o desejo de não reeditar a aliança com o PSB do governador Ricardo Coutinho, mas a vontade enorme de apoiar um nome fora do seu partido e, de preferência, que seja de Campina Grande.

No clima de festa da convenção nacional, comentou-se que o eleitor de Campina Grande, base política do maior líder dos tucanos, não tem o menor interesse em votar no governador Ricardo Coutinho, cuja rejeição chega a superar seu antecessor José Maranhão (PMDB).

Por isso, e atendendo o clamor dos eleitores não apenas de Campina Grande, também de João Pessoa e diversos municípios paraibanos, em especial, as categorias dos servidores públicos estaduais; o senador Cássio poderá apoiar um nome fora do seu PSDB. Aqui, em Brasília, neste sábado, chegou-se a ventilar o ministro Aguinaldo Ribeiro (PP).

Não houve confirmação acerca do assunto, mas na hipótese de ser o ministro das Cidades, que é filho de Campina Grande, a chapa teria como candidato a senador o deputado federal Ruy Carneiro, presidente estadual do PSDB, uma indicação de Cássio. O hoje senador Cícero Lucena disputaria uma cadeira na Câmara Federal.

Agora vem aquela que seria a maior surpresa: a presença de Lucélio Cartaxo (PT), irmão do prefeito da capital Luciano Cartaxo; complementando a chapa de oposição. Numa circunstância normal dificilmente se veria algo igual. Porém…

Porém, ocorre que o senador Cássio Cunha Lima se vê obrigado a seguir esse cenário por causa da rejeição do governador, sobretudo em Campina Grande. Também aqui, em Brasília, o blog tomou conhecimento de uma pesquisa de intenções de voto para o governo do Estado.

Cássio detém a supremacia sobre o governador-candidato a reeleição, que seria ameaçado pelo terceiro colocado, o ex-prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rêgo (PMDB).

Por isso e como não tem pretensões de concorrer ao governo em 2014, até porque será o principal comandante da campanha presidencial do senador Aécio Neves no Nordeste, Cássio estaria disposto a cruzar os braços no assunto reedição da aliança com Ricardo e costurar uma aliança, tendo como personagem principal o campinense Aguinaldo Ribeiro.

O governador já teria percebido esse movimento e tenta neutralizar a formação de uma chapa neste cenário: Aguinaldo Ribeiro (governo), Lucélio Cartaxo (vice) e Ruy Carneiro (senador).

O jogo da política é assim, nasce nos bastidores e tudo começa por Brasília.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.