Aliado do cassismo defende rompimento. Hoje, se possível

No auge do que está pra acontecer, a diplomacia paraibana dilui-se em dúvidas, que veio através de uma declaração vereador-poeta Bruno Farias (PPS/PMN). Disse ele nos estúdios do programa Rede Verdade, da TV Arapuan: “Quem tem um amigo desse não precisa de inimigo”.

A conhecida frase tem dois endereços: o Palácio da Redenção e a Granja Santana, residência oficial do governador do Estado. Só para os leitores compreenderem: Bruno se antecipa a um fato que poderá acontecer a qualquer momento, que vem a ser o rompimento da aliança política do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) com o governador Ricardo Coutinho (PSB).

Corajoso, conforme faz questão de proclamar, Ricardo demitiu o concunhado de Cássio, cunhado de D. Sílvia Cunha Lima e sogro do vereador Bruno Farias. Lembram-se dele. Pois bem, chama-se Marcos Túlio que ocupava uma função de confiança na direção da Cagepa na condição de servidor de carreira do órgão.

“Demitiu sem consultar ninguém, nem mesmo o senador Cássio Cunha Lima (…). Portanto, quem tem um amigo desse não precisa de inimigo”, uma reação que qualquer um teria em se sentindo traído.

Para complementar o que estar pra acontecer a qualquer momento, Bruno avalia que o senador Cássio pode ser candidato ao governo em 2014. “Vou não só trabalhar dentro o meu partido no apoio a Cássio, mas me empenhar numa possível eleição”.

Demonstrou otimismo nesta nova fase do partido, a fusão estabelecida com o PMN. E mais: “O vice-prefeito Nonato Bandeira é o nome mais cotado para assumir a presidência do PPS neste momento (…). Ele tem grande prestígio com o presidente nacional Roberto Freire”.

Sobre Agra, o vereador Bruno disse que “o partido está de tapete vermelho estendido para que venha se filiar”.

Como pudemos observar, pra o PPS o governador Ricardo inexiste.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.