“Não depende só de mim a reedição da aliança”, reitera Cássio

Atende pelo nome Cássio Cunha Lima (PSDB) a preocupação do governador Ricardo Coutinho (PSB) e dos grupos operadores políticos do “socialista”, virtual candidato a reeleição. Nesta (15), sinalizou mais uma vez, de novo e novamente à disposição de concorrer ao governo em 2014.

Estabeleceu uma estratégia que a leva dissociar do governador que ajudou a eleger na campanha de 2010. “Não depende só de mim a reedição da aliança”. É o que o senador tem proclamado sempre que instado a falar sobre a relação política com o “socialista” Ricardo Coutinho.

Em entrevista, Cássio reiterou que a decisão de tornar-se candidato ao governo depende do PSDB, cujo partido federal deseja vê-lo a abrir um palanque na Paraíba para o presidenciável Aécio Neves.

“Claro que eu tenho a exata noção de que minha palavra tem peso no partido, mas existem outras forças no PSDB que têm o direito de opinar e, de forma democrática, pretendemos ouvir essas pessoas que ajudam a manter o partido forte na Paraíba”, disse.

Quem acompanha as pegadas do senador sabe o quanto houve uma mudança de comportamento em relação ao ainda aliado, principalmente depois que passou a ser cobrado por diversos segmentos das categorias dos servidores públicos, que se queixam a ele da falta de compromissos nas ações do governo tucano, a exemplo do cumprimento dos PCCRs.

Em recente declaração, Cássio deu uma resposta dura ao governador sobre o pedido de indicação de um nome para ocupar à presidência da PBGás, inclusive afirmou que não aprendeu a fazer política negociando cargos, lembrando também que os secretário Gustavo Nogueira (Planejamento) e Luzemar Martins (Controladoria) não fazem parte do “núcleo duro” do governo.

Alguma dúvida!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.