Polícia que não investiga Polícia; ouvidora entrega caso ao MP

Foi jogada no meio-fio notícia daquela que serve paradesviar a atenção da população para outro problema, talvez mais grave. De qualquer forma está aí para ser noticiado mesmo.
Ocorreu nesta quinta (7). Chama-se Valdênia Lanfranch (foto) a responsável pela informação. Ela vem a ser ouvidora da Polícia.
Disse ela durante entrevista a uma emissora de rádio que “o Ministério Público investiga enriquecimento de policiais militares paraibanos”. Teriam uma vida, digamos, de rei.
“O Ministério Público tem agido com muita firmeza no controle das atividades policiais e pediu abertura de auditoria para poder investigar esses casos…”.
“… Encaminhei para o Ministério Público um ofício porque quem ia acompanhar essas auditorias eram policiais indicados do próprio Comando (…). Ou seja: não hã isenção em investigações dessa natureza”.
Segundo a ouvidora, policiais ganham horas extras sem trabalhar. Em outros casos indícios de enriquecimento ilícito dentro da Polícia. Apontou denúncias de que 85% dos casos encaminhados não são dadas respostas pela Corregedoria.
Curioso é que os investigados permanecem nos respectivos cargos, conforme a ouvidora. “Com a lei de informação espero que a sociedade possa acompanhar esses casos um pouco mais”.
Valdênia jogou a podridão no asfalto e informou que vai bater continência e deixar o cargo em setembro. Declarou-se contrária a recondução em funções públicas. Contrariou o chefe.
“Não quero recondução porque não gosto da idéia de perpetuação do poder”, afirmou ela.
Talvez, nem precisará mais pedir pra sair.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.