Grande família: nepotismo avança pelos municípios paraibanos

Os prefeitos eleitos ou reeleitos em outubro passado assumiram os comandos de seus municípios há cinco dias, mas como uma das primeiras ações foi a nomeação deparentes para ocupar cargos na administração pública.
Passam por cima da Lei do Nepotismo, aquela mesmo que proíbe o gestor público a contratar parentes para cargos dentro da própria administração. É possível ver nas prefeituras mulheres, mães, pais e irmãos de prefeitos alojados na máquina, com salários pagos com o seu dinheiro.
Um dos considerados dez maiores municípios paraibanos, Bayeux é uma dessas cidades onde há casos de nepotismo. O prefeito Expedido Pereira (PSB) nomeou para Secretaria do Trabalho e Ação Social sabe quem? Acertou quem disse a esposa Maria Cristina Duarte.
Cajazeiras também. Lá, a prefeita Denise Oliveira nomeou o marido Carlos Antônio secretário de Planejamento. Em Patos, a prefeita Francisca Motta (PMDB) nomeou a filha Ilana Motta para comandar a Secretaria de Saúde do Município.
Certamente, o nepotismo está presente em todos os municípios. A lei já era. E você que passou no concurso público e aguarda ser chamado vai ficar aí de braços cruzados?

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.