Márcia Lucena não teve a mesma sorte do mandachuva do Partido Socialista

Sem dinheiro para pagar bons advogados com atuação nos tribunais superiores (Brasília), a ainda prefeita de Conde, Márcia Lucena (PSB), teve negado pedido de extensão de decisões favoráveis ao ex-governador Ricardo Coutinho.

Márcia é uma das investigadas no âmbito da Operação Calvário, tendo sido presa durante a 7ª etapa da ação da Polícia Federal. Ganhou liberdade, mas carrega as medidas cautelares, entre elas o uso de tornozeleira eletrônica.

Foi para se livrar do acessório e de outras cautelares, a exemplo também do fim de recolhimento noturno, das 20h até às 5h do dia seguinte, que a prefeita ingressou com o pedido do benefício.

A ministra Laurita Vaz, relatora de feitos da Operação Calvário no Superior Tribunal de Justiça, negou o pedido pelos advogados daqui. Os defensores de Ricardo Coutinho são de lá, de Brasília.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.