STJ julga medidas de limitações impostas a Coutinho nesta 3ª

Depois da liberdade da cadeia e do uso da tornozeleira eletrônica, o ex-governador Ricardo Coutinho agora quer se livrar das limitações impostas pela Justiça das medidas cautelares, uma decisão monocrática da ministra Laurita Vaz, do Superior Tribunal de Justiça.

Nesta terça-feira (6), através dos defensores de Brasília, Coutinho provocou a Sexta Turma do STJ a julgar o habeas corpus 564.325, que ele impetrou para tentar se livrar definitivamente, pelo menos por enquanto, das decisões que lhe impôs limitações.

O ex-governador é investigado no âmbito da Operação Calvário, onde é acusado pelo Ministério Público de ser o “comandante máximo” de uma organização criminosa que teria desviado mais de R$ 134 milhões da saúde dos paraibanos.

Em dezembro, Coutinho foi preso pela Polícia Federal no aeroporto internacional de Natal, no momento em que desembarcava de uma viagem a Europa. Foi levado para a sede da PF em João Pessoa, passou por audiência de custódia e, em seguida, preso.

Porém, o ministro Napoleão Nunes, do Supremo Tribunal de Justiça, lhe deu uma mãozinha e o colocou em liberdade horas depois. Ato contínuo, o desembargador Ricardo Vital, relator da Calvário, determinou o uso da tornozeleiro pelo ex-governador.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.