Paródia ‘o povo quer o lixo’ é motivo de agressão em Pedras de Fogo

Em Pedras de Fogo, a campanha já faz por merecer a presença de tropas federais, se levada em consideração o desespero dos partidários do candidato oficial diante a iminente derrota nas eleições de 15 de novembro. Isso tem levado partidários do candidato oficial a pratica de violência em praça pública. Vale a pena lembrar que lá o eleitor vai às urnas num único turno.

O clima está quente e já houve de tudo, inclusive em duas ou três ocasiões denúncias de compra de voto e, mais recentemente, a agressão do secretário de Administração, Arthur Guedes Vasconcelos Sousa, mais conhecido por Arthur do Canto, contra um jovem trabalhador.

Ele já foi indiciado pelo delegado Paulo Martins (foto) acusado de agredir Anderson Antônio da Silva, conhecido por Yuri, em praça pública, durante um evento na cidade. A suposta agressão ocorreu no último dia 16 por estar escutando na calçada de sua casa paródias do candidato adversário, que dizia: “O povo quer o lixo”.

O delegado Paulo Martins ouviu a vítima que teve uma caixa de som, seu equipamento de trabalho – ele (Yuri) é DJ – quebrada, “que relatou ter sido agredido covardemente”, disse a autoridade policial.

Martins informou, ainda, que encaminhou “a caixa de som para perícia, por dano considerável, uma vez que a vítima mantinha o objeto para sobreviver, trabalhando como DJ. Em seguida, vamos proceder qualificação do agressor”.

Também que “ele (agressor) será indiciado por agressão, ameaça e danos consideráveis, uma vez que ele quebrou o instrumento do rapaz, que era de trabalho”. O delegado disse, ainda, que não vai poupar ninguém, “não vou passar a mão na cabeça de ninguém. Como disse, não sou político; estou aqui para apurar”.

A vítima, além de registrar um boletim de ocorrência, realizou exame de corpo delito e disse que “espero justiça, isso não pode ficar assim. Se aconteceu comigo, pode acontecer com várias pessoas”.

Ameaça – Logo após Yuri registrar o BO, o tio do agressor identificado por Luiz Carlos, encaminhou áudio para o pai do jovem agredido, o ameaçando. “Aqui quem tá falando é Luiz Carlos, se tu for para o meio da rua com esse som, dá uma de palhaço, quem quebra o som sou eu. Quem que o som é Luiz Carlos, viu”.

É importante lembrar que no começo de agosto, o empresário Abson Alves de Matos Paiva, 35, foi executado dentro do seu estabelecimento comercial. Ele vinha fazendo críticas a gestão do prefeito Dedé Romão, que apoia o sobrinho Lucas Romão para ser o sucessor.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.