Justiça mantém eleição indireta em Bayeux, conforme a Lei Orgânica

Só vai com a intervenção, porque a Justiça manteve a eleição indireta desta quinta-feira (13) para escolha do prefeito de Bayeux, após a renúncia de Berg Lima. A decisão foi do juiz Miguel de Brito Lyra Filho, que rejeitou recursos da Câmara dos Vereadores pedindo para barrar o processo.

Conforme a Câmara de Bayeux a Emenda nº 01/2019 é nula por ausência de publicação no Diário Oficial do Município. Em sua decisão, o magistrado destaca que, de acordo com a Lei Orgânica Municipal, a emenda é promulgada pela Mesa Diretora, o que aconteceu.

Seis chapas estão na disputa, além do prefeito interino Jefferson Kita e do presidente da Câmara, Inaldo Andrade, estão inscritos: Carlos Antônio dos Santos, Luciene (Fofinho) Andrade Gomes Martinho e Ardinildo Moraes dos Santos.

Ontem, em entrevista, o secretário-chefe do Governo, Ronaldo Guerra, admitiu a hipótese de intervenção no Município. “Tudo dentro da lei”, observou.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.