Octávio Paulo Neto: ‘a gente cuida do pecado e não do pecador’

Só o promotor Octávio Paulo Neto, também coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, na Paraíba, sabe o que ainda estar por vir das investigações da Operação Calvário/Juízo Final.

A decisão de ontem do Superior Tribunal de Justiça não desestimula Paulo Neto, que classificou como “parte do processo democrático”. Em entrevista, afirmou que o combate ao crime organizado irá continuar. E deve mesmo seguir, avançando nas investigações.

“Eu acho que os órgãos de persecução e controle no Brasil têm que ter resiliência e a gente tem que persistir”, disse. Logo em seguida, um recado duro: “Agente cuida do pecado e não do pecador”, complementou Paulo Neto.

Expôs, ainda, que “uma vez que estamos convictos que o trabalho está sendo bem feito e que é necessário determinadas medidas e determinadas ações…”

“… E, se porventura o judiciário não acolher o judiciário não acolher, a gente vai buscar os recursos e os meios necessários como tem sido feito…”

“… E não tem nenhum problema o judiciário entender de maneira diversa, da mesma forma que também não tem problema nenhum da gente buscar os recursos adequados”, arrematou.

One comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.