Delator consegue autorização para viajar; é o benefício da colaboração

O lobista Daniel Gomes da Silva teve a autorização da Justiça do Rio de Janeiro e deve viajar no período de 31 de janeiro a 12 de fevereiro. Uma espécie de “indulto” para alguém que teve a capacidade de desarticular uma organização criminosa e denunciar, através de delação, o ex-governador Ricardo Coutinho como chefe da orcrim na investigação no âmbito da Operação Calvário.

Em seu blog, Marcelo José destaca que o “despacho também autoriza a entrega de passaportes, autorização para renovar o referido documento, se for o caso, e informar a Polícia Federal a liberação judicial da viagem”. Daniel, conforme ressalta a matéria, “é considerado o chefe da organização criminosa na esfera privada”.

Daniel Gomes tem uma audiência marcada para a próxima sexta-feira (31), e não poderá faltar, porque a ausência representará a perda do benefício dado durante a delação. Ele passou um ano preso, destes entre presídios do Rio de Janeiro e Brasília, onde teria a colaboração e denunciado o ex-governador Ricardo Coutinho.

Aos investigadores, Daniel declarou: “Ricardo é o líder. Isso indiscutivelmente”.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.