PGR emite parecer contrário a soltura de Coriolano e pede de novo volta de Ricardo ao xilindró

Acionada pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, à Procuradoria Geral da República emitiu parecer opinando pela manutenção da prisão de Coriolano Coutinho e, também, a volta do ex-governador Ricardo Coutinho ao xilindró.

O parecer fora emitido ontem (27) e recebe a assinatura do procurador Humberto Jacques. Ele pediu, ainda, “a suspensão das liminares concedidas pelo Superior Tribunal de Justiça, em regime de plantão pelo Ministro Napoleão Maia nos habeas corpus”.

No despacho, o PGR cita Ricardo Coutinho, Cláudia Veras, David Clemente, Francisco das Chagas Ferreira, Márcia Lucena e outros beneficiados pelo ministro Napoleão.

“O vértice da organização criminosa foi libertado pelo Ministro Napoleão Nunes Maia, bem como as Secretárias de Saúde e de Educação sob cujas gestões se operacionalizam os esquemas de corrupção e drenagem de recursos públicos para organização criminosa nas Secretarias de Saúde e de Educação da Paraíba”.

Quanto a soltura de Coriolano, a PRG reforça: “A liberdade dos beneficiários das liminares aqui impugnadas enfraquece sobremaneira a eficácia do desbaratamento da organização criminosa, feita ao custo da liberdade de outros pacientes, da coragem de testemunhas e colaboradores, e do empenho devoto de agentes públicos comprometidos com o sucesso da persecução penal e a restauração da autoridade da lei e da ordem pública”.

De uma coisa o procurador tem a certeza de que os irmãos Coriolano e Ricardo Coutinho “possuem igual poderio de intimidação e domínio sobre expedientes profissionais”, chegando a tachar o ex-governador de o “delinquente mais poderoso de todos”.

(Com informações do blog de Helder Moura)

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.