Prefeito extingue cargos e se torna ‘réu confesso’ do próprio erro

Com uma atraso de quatro meses, Vitor Hugo anuncia a extinção de 224 cargos comissionados, um longo período de prejuízo para o erário de Cabedelo, cuja gestão atual continuou com os erros do antecessor.

Sim, porque o prefeito interino deveria ter promovido a extinção desde abril, no momento em que sentou na cadeira do presidiário Leto Viana. Está anunciado uma economia de R$ 1,1 milhão com a medida.

Não seria por demais uma ação do Ministério Público, até porque ao longo desse quatro meses o prefeito Vitor Hugo deixou que 30 pessoas continuassem recebendo R$ 10 mil mensais.

No mínimo houve prevaricação por prejuízo ao município.