O ‘alto lá (!)’ e a cobrança da votação de projeto polêmico

Cássio Cunha Lima insurgiu nesta quarta-feira (8) em dois momentos de sua atuação parlamentar. Pela manhã, o tucano usou a autoridade de vice-presidente do Senado para expressão “alto lá (!)” na tentativa do Planalto de enterrar o pré-sal, que daria pontapé inicial para venda da Eletrobras.

“É o tipo do assunto que não cabe para ser discutido este ano e, sim, em 2019 já com novo governo e composição das casas legislativas”, justificou se referindo ao Senado e a Câmara Federal.

Depois, Cássio cobrou a votação imediata da Comissão de Constituição e Justiça sobre a votação do projeto de sua autoria, que prevê a prisão de condenado em segunda instância pela Justiça do País. Estranha que a matéria esteja pronta para ser apreciada desde 6 de junho e não anda.

O senador paraibano explica quando começou a legislar sobre essa matéria: “A partir da regulamentação da decisão do Supremo Tribunal Federal no que diz respeito à execução das penas com decisão em segundo grau, resolvi e me empenhei após a manifestação do STF…”

“… De forma muito simples, sugerimos uma mudança no conceito de trânsito em julgado exclusivamente nas ações penais. Está provado que a impunidade é vetor que dissemina a corrupção”, contou.