Fisco foi advertido sobre a greve: é perda de tempo

Antes de deflagrar o movimento grevista programado para esta quarta-feira (28), os auditores fiscais da Paraíba tentaram um diálogo com o governador do Estado, através do secretário estadual de Planejamento, Waldson Sousa, sendo advertido que não adiantaria nada cruzar os braços no momento de transição do governo.

O Sindifisco soltou uma nota à imprensa, destacando que “no Governo Ricardo Coutinho II, os servidores tiveram 1% de reajuste, em 2015 e zero por cento, nos últimos três anos, descumprindo a lei que o próprio governador fez aprovar na Assembleia Legislativa, em 2012”. O Fisco reivindica a paridade entre ativos e aposentados, melhores condições de trabalho e cumprimento da lei da Data-Base.

A despeito da advertência do secretário Waldson, mostra que o governador deixa o governo em 7 de abril, deixando a “batata quente” nas mãos da sucessora Lígia Feliciano, vice-governadora do Estado, a quem deverá responsabilizar-se por essa herança para quem ficará à frente do governo do Estado.