Existem duas versões, a de Romero Rodrigues e de Bruno

O prefeito Romero Rodrigues (PSDB) segue como o ponto de divergência do grupo de oposição, que está se preparando para concorrer as eleições do próximo ano. Fazendo o jogo da situação, ele parte para a briga quando recusa as novas regras da peleja. “O ideal é a oposição unida; eu não sei como isso será possível”, disparou.

Já o deputado Bruno Cunha Lima (PSDB), líder da oposição, tentou minimizar a forma como Romero quer conduzir o processo, ameaçando abandonar o ninho e partindo para uma aventura: “Ele (Romero) está no PSDB antes de Cássio e da maioria dos filiados, desde 1992”.

Injetou o problema nacional com o local, talvez como uma forma de procurar uma justificativa para tranquilizar os seguidores de Romero, que está mais pra sair da legenda tucana do que permanecer. Precisa alguém chegar ao prefeito e lembrar que não é o momento dele.