Matias advoga a tese que Ricardo não deve se afastar

A tese de Adriano Galdino (PSB), ex-presidente da Assembleia Legislativa, que defende a permanência do governador Ricardo Coutinho (PSB) até o final do mandato, em 31 de dezembro de 2018, ganhou corpo. O deputado Genival Matias (PT do B), outro aliado, também segue a mesma linha e raciocínio do colega de bancada.

“Em nome do projeto maior, acho que o governador Ricardo Coutinho deveria permanecer no cargo, pois seria, sem dúvidas, o grande cabo eleitoral do nome que estaria apoiando como seu provável sucessor nas eleições do próximo ano”, disse Matias.

O tema não está em discussão, conforme ressaltou Genival Matias, também presidente estadual do PT do B. “Não, porque o governador está focado no desenvolvimento do Estado, nas obras programadas no calendário governamental para serem entregues”, frisou.

Adiante, comentou que “esse assunto político envolvendo o nome do governador, se fica ou se afasta, somente terá espaço para ser discutido no próximo ano, talvez em janeiro”. Ele também argumentou que não se falar em nomes de possíveis candidatos.

Matias frisou, ainda, que “gosto do estilo de governar de Ricardo e também da relação com os aliados. Pelo menos, não cria falas promessas e é pragmático em suas decisão”, concluiu.