Deca quer aceleração do emprego e renda no país

Há uma preocupação premente demonstrada pelo empresário José Gonzaga Sobrinho (DEC) no tocante a demora na retomada da geração de empregos no Brasil. Para ele, as micro e pequenas empresas representam quase 30% do Produto Interno Bruto da Paraíba, empregam 52% dos trabalhadores brasileiros e, por isso, precisa-se incentivar a redução da burocracia para quem quer empreender

Destacou que junto dos trabalhadores, os empreendedores constituem a força que promove o desenvolvimento de uma nação. “Defendo políticas de incentivo ao empreendedorismo, objetivando a geração de empregos”, frisou. Disse mais:

“Os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil são extremamente versáteis e essa qualidade não tem sido utilizado em benefício do país, simplesmente porque as pessoas perderam os seus empregos e os governos precisam incentivar a retomada constante dos níveis de empregos”, ressaltou.

Adiantou, ainda, que “é preciso compreender que trabalhadores e empreendedores não estão em lados opostos. Cada um com as suas qualificações contribuem decisivamente para que o país avance”.

Parceiros – Deca se colocou frontalmente contra o maniqueísmo que tenta colocar trabalhadores e empresários em lados opostos, como se fossem inimigos, quando na realidade são parceiros, “dessa postura eu não abro mão, pois nas minhas empresas, eu tenho verdadeiros parceiros que a partir da sua capacidade de trabalho, ajudam fortemente no desenvolvimento das localidades onde estão instaladas com o seu trabalho”.

Exemplo – O empresário mostrou-se especialmente preocupado por compreender que o país precisar enfrentar os seus problemas econômicos com seriedade, respeitando sempre o contraditório, “é preciso maturidade e comprometimento para que as pessoas não sejam prejudicadas pela omissão de quem precisa resolver os problemas que estão afligindo a população trabalhadora brasileira”, afirmou Deca.