Ministério Público manda prefeito exonerar sogra

Mais importante no casamento não é a esposa, é a sogra. “Uma esposa limita-se a repetir as qualidades e os defeitos da própria mãe”, conforme ensinamentos do cronista Nelson Rodrigues. Pois bem, nesta quarta-feira (29), por decisão do Ministério Público do Estado (MPE), o prefeito Jarson Santos da Silva, de Nova Floresta, terá que exonerar Marta Lúcia Santos Andrade, a sogra, do cargo de chefe de gabinete.

O prefeito Jarson terá 10 dias para cumprir com a ordem do Ministério Público. A recomendação decorre de uma denúncia de suposta prática de nepotismo. Entendeu o promotor Eduardo de Freitas Torres, tratar-se de parente de primeiro grau por afinidade do prefeito. Se não proceder de acordo com a orientação, então será aberto um processo por improbidade administrativa.

Em seu parecer, o promotor Eduardo de Freitas destaca: “A prática de nepotismo é contrária aos princípios da moralidade, da impessoalidade, da isonomia e da eficiência, não só no âmbito do Poder Judiciário, mas de toda a administração pública, não se podendo excluir da vedação imposta pelo Supremo Tribunal Federal e os poderes Legislativo e Executivo”.

Jarson ainda não deu nenhuma “desculpa”. Talvez, tenha esquecido que Dona Marta Lúcia Santos Andrade é sua sogra.

Súbito esquecimento.